quinta-feira, 13 de junho de 2013

Não é o que parece (2)

O HRD Awards é um concurso que valoriza joias arrojadas e conceituais. Em suas várias edições, quase todas as peças laureadas fogem do óbvio, como é assim de se esperar. Este ano não foi diferente, já que o tema "Trompe l’Oeil - nothing is what it seems" (veja aqui) desafiou os designers a criar projetos que transitem entre o real e o imaginário, um mergulho no mundo da ilusão.
No post anterior, mostramos o conceito do anel Luminous, uma das três joias de designers brasileiros que estão entre as semifinalistas do HRD Awards 2013. Hoje vamos falar sobre um outro projeto, criado pela mineira Soraya Camilo.


   

"Especialmente neste ano, para mim, o tema foi um irresistível convite ao universo surreal, onírico, um drible ao pensamento racional", nos contou Soraya, que é  graduada em Odontologia pela PUC-Minas e em Artes Plásticas pela UEMG - onde também cursou a pós-graduação em Design de Joias. 

Seu projeto "No Wisdom", aparentemente dois curiosos seres marinhos - mãe e filhote - habitantes de águas profundas, com tentáculos sensoriais e luz própria, são na verdade composições feitas a partir de 67 dentes siso (ou dentes do juízo, como popularmente conhecidos).


Os dois broches têm tamanhos e formas diferentes, projetados para ser uma moldura orgânica para os seus 22 diamantes. Cada par de raiz dentária que forma seus segmentos é único e guarda as peculiaridades daquelas raízes: volume, curvatura, cor. Um genuíno e original código genético, impossível de ser copiado.
"No Wisdom" consumiu mais de 200 horas de trabalho em sua concepção e confecção, que envolveu esterilizar, clarear, partir e polir os dentes, depois formar pares coincidentes, criar as formas, preparar as bases de metal para broche e também para as 22 peças onde foram cravados os diamantes.
Desajuizadamente, No Wisdom assusta, provoca e confunde o espectador. 





Para o preparo do metal, Soraya teve o apoio de Ricardo Azevedo, do Pulsar Atelier de Joias, de Belo Horizonte. O patrocinador dos diamantes é a empresa belga R.A.Gem Centre. De acordo com as regras do concurso, os diamantes são fornecidos por empresas da Antuérpia e a cravação é feita lá.


No site do concurso foi disponibilizado um sistema de votação on line para que o público escolha sua peça preferida. Para votar, clique aqui

Um comentário:

Regina Teixeira disse...

De imediata, identifiquei as pedras preciosas como brilhantes. Os fios metálicos como sendo de ouro branco ou platina. E o corpo do animal marinho como de um material calcário, e o dente é.